CASINHA BRANCA COM VARANDA – FAÇA VOCÊ MESMO

POR: | 01/08/2017

É muito comum ver as pessoas surpresas quando descobrem que eu eu fiz minha própria casa. Sim, uma casinha branca com varanda. Vou contar um pouco sobre ela e porque decidi fazê-la utilizando o método Faça Você Mesmo (DIY).

 

Casinha Branca com Varanda

Eu cresci na cidade, mas passava as férias no sítio dos meus avós maternos.  Mantinha sempre contato com a natureza e animais enquanto observava meus avós fazendo várias atividades desde tirar o leite das vacas até plantar diferentes coisas para comer.

 

Então era frequente comer o mingau do leite que a vó tirou, ou a alface gigante que o vô plantou.

Quando alguma cerca ou porteira estava com problemas meu avô pegava a caixa de ferramentas e logo ia concertar.

 

Isso foi bem antes de escutar a expressão DIY: do it yourself, ou faça você mesmo. Então eu aprendi que existiam três grupos:

 

Deixa quebrado mesmo;

Pago alguém para consertar;

Vou lá e arrumo.

 

Tem gente que dá um valor danado por uma fruta colhida no seu quintal, outros nem ligam. O ato de fazer algo com as próprias mãos segue a mesma linha. Para mim se trata mais de paciência e vontade do que de habilidade. Habilidade vem com a prática.

 

Um dia eu resolvi viver mais próximo a natureza, simples assim. Resumidamente comprei um terreno que tinha árvores e uma rampa enorme para subir. Só.

 

Eu aprendi muito com o processo de buscar informações na prefeitura, secretaria de urbanismo, meio ambiente. São etapas com exigências, permissões e proibições como os processos empresariais.  Obstávulos entre o você atual e o que você deseja. Quando percebi já estava com licença de construção na mão, guias para retirada de algumas árvores e não parou mais.

 

Encontrei um profissional de retro escavadeira, outro que comprava madeira, e com isso fui fazendo amizades e mais amizades.

Retro Escavadeira

 

Um dia conheci um vizinho, Paulo Veit. Alemão, metódico e crítico, mas com um coração tão grande como seu cativante sorriso.  Ficamos amigos e logo virei figura carimbada em sua casa.  Não raro eu estava com ele  e sua esposa conversando, jantando ou almoçando.

 

Paulo tinha participado da construção da sua casa. Fora um empresário do ramo madeireiro com verdadeira paixão pelo material. Aprendi a apreciar e valorizar a madeira daquela época em diante.

 

Eu queria que Paulo fizesse as vigas da minha casa como fez para sua. Aquelas grandes vigas de madeira colada e pregada como dos estádios e barracões de antigamente.  Mas ele não faria. Nem que eu pagasse  para fazer pois já tinha compromissos demais para resolver.

 

Mas eu te ensino a fazer e empresto minha marcenaria se você quiser.

 

Para tudo e presta atenção: Isso é como um contrato empresarial grande. Você não tem estrutura, mas sabe que o resultado final será bacana e dará um jeito. Você sabe que não será fácil e que vai se arrepender no meio do caminho, mas que se negar lamentará o resto da vida.

 

Fechado, respondi e apertei a mão dele.  

 

Logo eu estava ajudando na construção do deck da sua casa, na porta da garagem, e o que mais ele precisava fazer como limpar a marcenaria, alimentar os cachorros e gradear madeira.  


Eu nem tinha finalizado o projeto arquitetônico da minha casa ainda, ou seja, não tinha nada de madeira para fazer na época. Mas tinha muito o que ser feito na casa do Paulo, então fui seu aprendiz de marceneiro durante meses. Trabalhava sábados, domingos, feriados e algumas noites durante a semana.

 

Claro que ninguém do meu círculo social entendeu. Quando eu entendi que as pessoas não enxergavam o que eu via,  parei de tentar explicar e foi melhor, me senti mais livre e fluiu.

 

Essa jornada era intercalada com meu dia-a-dia de diretor administrativo na época. Foi impressionante como eu parei de aceitar desculpas de “não deu tempo” ou “não sei fazer isso” vinda dos funcionários. Daquela experiência em diante tudo se resumia a  não quis fazer ou  tenho preguiça de aprender.

 

O diário de obra foi algo como:

 

1 ano para compra de terreno e documentação.

1 ano para terraplanagem e projeto da casa.

11 meses para construção da casa.

 

Eu construía carrinhos de rolamento quando era moleque, e se não dava certo a idéia era só recomeçar ou partir para outra brincadeira.

 

Agora era diferente. Eu já tinha começado, era uma questão particular de honra.

 

Um breve resumo, em imagens:

 

Casa Construção Casa Construção Casa Construção Casa Construção Casa Construção Casa Construção Casa Construção Casa Barranca Casa Barranca Casa Barranca Casa Barranca Casa Barranca Casa Barranca Casa Barranca Casa Barranca Casa Barranca Casa Barranca Casa Barranca Casa Barranca Casa Barranca Casa Barranca Casinha Branca com Varanda Casa Barranca Casa Barranca







Comentários