Você sabe como tratam o lixo mundo afora?

POR: | 16/05/2018

 

Você já parou para pensar como tratam o lixo mundo afora? Será que é da mesma forma que no Brasil?

Vamos analisar alguns dados:

 

Alemanha

O país possui o índice de reaproveitamento de lixo mais elevado do mundo. Em 1970 a Alemanha tinha cerca de 50 mil lixões e aterros sanitários. Atualmente, são menos de 200. Hoje menos de 1% do lixo sólido é enviado para aterros.

Mas nem sempre foi assim. A cadeia produtiva de resíduos emprega mais de 250 mil pessoas e ­estima-se que 13% dos produtos comprados pela indústria alemã sejam produzidos com matérias-primas recicladas. Lá diversas universidades oferecem formação em gestão de resíduos, sem contar os cursos técnicos profissionalizantes. Fantástico.

 

tratam o lixo

 

No Brasil possuímos 1.700 aterros sanitários. Locais onde o solo é preparado para que o lixo não prejudique o meio ambiente. Entretanto, também existem 1.559 lixões, ou seja, espaços gigantescos com lixo a céu aberto. De acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei nº 12.305/10 ), esses lixões deveriam estar fechados desde 2014.

Agora veja que engraçado: um projeto da Associação Brasileira de Resíduos Sólidos e Limpeza Pública mostra que para erradicar os lixões serão necessários perto de R$ 2 bilhões e a construção de 256 aterros de grande porte e 192 de pequeno porte.

Entendeu a diferença? Vou reescrever: em 1970 a Alemanha tinha cerca de 50 mil lixões e aterros sanitários. Atualmente, são menos de 200, e aqui existe uma associação sugerindo investimento de R$ 2Bi para para construir mais 448 aterros?

Para se entender os avanços ocorridos na Alemanha é importante citar que existe cobrança de taxas municipais para a coleta de lixo desde o século XIX. Quero ver povo gerando lixo sem pensar com cobrança de taxas. Entendeu? Antes de 1.851 os proprietários das casas já pagavam taxas pela remoção dos resíduos sólidos domésticos, o que significa que se mexer no bolso a coisa muda de figura.

 

Japão

Ok, vamos para a terra do sol nascente. Outro caso curioso, pois devido ao território pequeno, não há espaço de sobra para acumular lixo, como aqui no Brasil. Então eles levam o lixo para usinas de geração de energia. Uma dessas usinas, por exemplo, fica em Tóquio e processa 200 toneladas diárias de lixo. Isso gera energia que é utilizada na própria cidade.

Lembra do exemplo na copa do mundo, né?

 

tratam o lixo

 

Bom, vamos voltar ao nosso quintal pois, de fato, não acho produtivo comparar nosso país com outros mais desenvolvidos. Entretanto, me senti na obrigação de usá-los como exemplo para ver que sim, existem alternativas.

Eu acredito em parcerias público-privadas e também na privatização daquilo que o Estado não tem competência para gerir, como o caso do lixo. Mas isso é teórico, denso e gera muito falatório e eu gosto mais é da prática.

Vejam que exemplo fantástico de criatividade e marketing verde que no Shopping Eldorado, São Paulo.

 

 

Além de ser uma notícia que merece ser compartilhada, exemplifica que não importa a estrutura ou as politicas publicas do país, é possível fazer melhor. Eles com uma horta de 2 mil metros quadrados, eu com minha horta de 2 metros quadrados feira com sobra de construção. De qualquer forma, estamos reutilizando o lixo orgânico que geramos e ainda produzindo algo suculento e saudável.

 

tratam o lixo

 

Sobre o lixo, enfim, não jogando na rua e separando corretamente para o descarte, já representa um estado de educação e respeito com a natureza.

Sobre horta, mesmo que você tenha um espaço reduzido vale a pena fazer a sua. Veja essas dicas com um cara que sigo e gosto pra caramba, isaac_horta_em_apartamento_ e vá em frente, a satisfação será garantida.







Comentários